Eu soube, via Diário Ateísta, que o jornal Le Monde denunciou a proteção de um padre genocida (Ruanda) pela igreja na França. A igreja tem velha tradição de proteger criminosos. Que digam os senhores Paul Marcinkus, Erich Priebke, Josef Mengele e Ante Pavelic (etc.,etc. e etc.!!!). (nem falo dos padres pedófilos!). O escritor Michel Onfray já havia denunciado a cumplicidade da igreja com o massacre de Ruanda e a proteção aos padres envolvidos. O jornal The Guardian denunciou o encobrimento de um padre genocida pela igreja na Itália e a tentativa do Vaticano em frustrar o julgamento de padres genocidas.
Relembre a cumplicidade religiosa com o massacre.

PS: Só pra lembrar…. nenhum dos padres envolvidos no massacre foi punido, suspenso ou demitido pela igreja (ao contrário dos padres moderninhos… defensores do fim do celibato, camisinha etc.); Nenhum deles foi excomungado, ao contrário dos católicos pró-aborto e pró-eutanásia. Nenhum deles foi proibido de comungar, ao contrário dos católicos divorciados e recasados. Em suma, a igreja não adotou contra eles nenhuma das duras atitudes e pressões que costuma adotar contra os católicos (padres e leigos) que costumam se desviar 1 milímetro das normas papais vigentes!!! E essa mesma igreja ainda vem com a maior cara deslavada do mundo vir querer aporrinhar os outros, ficar condenando aborto, camisinha, governo X, religião X etc.

Anúncios