Parece que a UNA anda incomodando certos “filhos de deus”. O post mentiras e hipocrisias religiosas virou  alvo no blog ultracatólico Deus lo Vult (pra quem não sabe, Deus lo Vult era lema das Cruzadas). O autor do post, obviamente, tenta branquear o paSSado da $anta igreja. ele chega e declarar:

Por exemplo: é óbvio que a presença do Papa junto a autoridades políticas quaisquer não significa, sob ótica nenhuma, um apoio irrestrito a estas autoridades. Assim, por exemplo, João Paulo II foi a Cuba e se encontrou com Fidel Castro, e tem foto dos dois juntos. Isso significa, por acaso, que a Igreja apóia o comunismo cubano?

OBS:Que eu saiba, a igreja nunca foi pilar da revolução cubana(ao contrario dos regimes de direita). E o papa só foi fazer visita em Cuba pra que a ilha “se abrisse” ao mundo (ao estilo Leste Europeu)  e fazendo média na ilha(como todo bom marketeiro). E só pra lembrar, o papa já não era mais aquele “jovem sexagenário” dos anos 80, que berrava contra o comunismo. E esse mesmo papa visitou a Nicarágua sandinista em 1983, no intuito de hostilizar o governo. Tomou uma bela vaia do povo. E só pra lembrar, na mesma época, o papa era conivente com os regimes militares instalados pela CIA, tanto que visitou o Chile de Pinochet em 1987 e não fez a mesma condenação (ao estilo Nicarágua). E ignorou as denúncias de massacres de opositores(incluindo padres!!) no Chile,Argentina,El Salvador….

O autor do blog disse:

Quando isto foi comentado, o assunto era uma famosa foto em que Pio XII, então ainda Cardeal Pacceli, aparece junto com Hitler. O contra-argumento da UNA é o seguinte: “curiosamente não vi estes padres fazendo saudação socialista”. Resta explicar qual seria a “saudação socialista” que eles estavam esperando ver. Ademais, eu também não vi o cardeal Pacelli fazer Heil Hitler.

OBS:1° lugar: quem aparece na foto com Hitler é o núncio apostólico Cesare Orsenigo.Orsenigo foi núncio na Alemanha de 1930 a 1945 e tinha boas relações com os nazis. Saudação socialista?? Existe sim!!

O autor disse:

Quanto ao fato de que houve católicos, inclusive padres e bispos, que apoiaram o regime de Hitler, nós não o negamos. Apenas repetimos o óbvio: isto é a posição particular destes católicos, e não da Igreja. Os padres acaso faziam Heil Hitler em obediência a alguma ordem da Igreja? Onde está essa ordem? Onde está a bula papal ou o decreto da Congregação para os Bispos que determina que os padres façam saudações nazistas sempre que virem passar os oficiais de Hitler?

OBS:O “desmemoriado” autor se esquece que estes padres jamais foram punidos pelo Vaticano(ao contrário dos padres “moderninhos”). Inclusive alguns destes padres cometeram crimes contra a humanidade com a  conivência do papa. Já que a igreja era radicalmente antinazista, por que não expulsou esses padres criminosos ???? Por que não expulsou os padres envolvidos com Ante Pavelic??? Pq não expulsou Tiso??? Ou os bispos Hudal e Draganovic, que abrigaram nazistas e ustashas em dependências do Vaticano em Roma ?? Por que a igreja permitiu que o Zentrum católico votasse a favor da ditadura nazi??? Pelo visto, o radicalismo antinazi da igreja era tão real quanto a linha do Equador.

O autor disse:

Engraçado também é o seguinte: “três anos antes que Adolf Hitler subisse ao poder, a arquidiocese de Mogúncia condenou de forma pública o Partido Nazista”, e isto simplesmente não é levado em consideração pelos detratores da Igreja. “Ah”, dirão os anti-clericais raivosos, “isto é somente uma diocese pequena dentro da Alemanha, e esta condenação nunca foi tornada oficial para a Igreja como um todo”. Ué, e daí? E quando acusam a Igreja de cumplicidade com o Nazismo ostentando, aos borbotões, as fotos de clérigos simpatizantes do Nazismo, que não chegam nem mesmo a ser a posição oficial de uma Diocese minúscula? Por que usam dois pesos e duas medidas?

OBS: Pode até ter sido verdade que a diocese tenha denunciado o nazismo em 1930. Mas.. e depois ?? Sabemos que muita coisa pode mudar em 3 anos. Até citei o caso do Zentrum católico.Mas isso ele não comenta,né? 2 pesos, 2 medidas….

autor disse:

Outrossim, a Reichskonkordat não fala, em nenhum momento, em “Nazismo”, em “Nacional-Socialismo”, em permissão para que os católicos votem em partidos nazistas, nem em nada do tipo. Trata de alguns direitos da Igreja em território alemão. Aliás, quando ela foi assinada, nem havia ainda o Nazismo como um sistema político totalitário, que só se configurou no ano seguinte, em 1934 – e esta informação encontra-se até mesmo na Wikipedia. Qual é, portanto, a relação da Concordata com os descalabros nazistas?

OBS:O autor precisa se instruir melhor. O Vaticano queria uma nova Concordata com a Alemanha em 1933. Hitler concordou, mas desde que o Zentrumspartei católico votasse a favor da lei de exceção que convertia a Alemanha numa ditadura.Depois de aprovada a lei, o regime nazi assinou a Reichskonkordat com a igreja. E essa Concordata ajudou o regime nazi a ter reconhecimento da igreja, o que era bom no plano diplomático internacional.

o autor disse:

Um argumento do mesmo nível seria o seguinte: o Vaticano assinou recentemente uma concordata com a República Federativa do Brasil, e o governo brasileiro é a favor do aborto. Ergo, deveria dizer um ateu, a Igreja apóia o aborto. Mas ele não ousa expôr este sofisma tão cretino… por quê? De novo, dois pesos e duas medidas. Esta é a honestidade atéia.

OBS: Que analogia mais tosca. Por acaso o Itamaraty obrigou o Vaticano a apoiar o aborto pra que houvesse a Concordata ??? Essa Concordata só vai encher os bolsos do papa e seus pares, além de colocar ensino religioso nas escolas.

o autor disse:

Por fim, e a título de curiosidade, vale a pena ler esta seleção de frases tiradas do insuspeito “O Papa de Hitler” de Cornwell, entre as quais destaco:

[A]pesar das confiantes declarações de Hitler, o VATICANO não era absolutamente favorável ao Partido nazista. A Santa Sé não endossava o nazismo implícito ou explícito do nacional socialismo.

[…]

Os nazistas consideraram a encíclica [Mit Brennender Sorge] como um ato subversivo. As empresas que colaboraram na impressão do documento foram fechadas, muitos dos seus empregados foram presos.

[…]

L’Osservatore Romano é condenado pelos fascistas, exemplares destruídos, jornaleiros espancados. Finalmente Pacelli foi emboscado em Roma, em conseqüência ele tornou-se um prisioneiro voluntário dentro do Vaticano.

[…]

[O] plano de Hitler [sobre isto, vejam também aqui] para seqüestrar Pacelli…

OBS:O autor se esqueceu de citar trechos do livro que fazem acusações gravíssimas contra Pio XII e o Vaticano.O livro de Cornwell é ambíguo, coloca a igreja como vilã e coitada em certos momentos. Ah… O autor se esquece também que Cornwell não foi o único autor a abordar o envolvimento da igreja com o nazismo (e fascismo). Cito outros autores: Avro Manhattan, Santiago Camacho, Uki Goñi, Viktor Novak, Eric Frattini. Existem também n sites(inclusive da imprensa) que comprovam a cumplicidade da igreja.

Eis o Papa de Hitler! Os ateus, para serem coerentes, deveriam acrescentar mais uma acusação à Igreja Católica: que Ela, além de apoiar o Nazismo, era radicalmente masoquista.

OBS:Realmente um grande masoquista… e o último ato de masoquismo dele foi as RATLINES.

Pois é, o autor do blog tem eterno compromisso com a verdade…

PS: a igreja confessa pecados.

http://www.radiovaticana.org/bra/Articolo.asp?c=47351
IGREJA CATÓLICA ALEMÃ INDENIZA 594 ESCRAVOS DO NAZISMO
http://www.radiovaticana.org/bra/Articolo.asp?c=195190
IGREJA NA ALEMANHA RECONHECE QUE EXPLOROU CERCA DE 6000 DEPORTADOS DURANTE O NAZISMO

Anúncios