Fonte: Reuters

Geleira na Suiça

Geleira na Suiça

Parece piada, mas não é:

ZURIQUE (Reuters) – Após séculos de orações para que uma geleira local parasse de se expandir, moradores de aldeias suíças agora estão tentando uma audiência com o papa Bento 16 para obter sua bênção às preces contra o aquecimento global que está causando o degelo.

Em 1678, os habitantes das aldeias alpinas de Fieschertal e Fiesch fizeram formalmente a promessa de viverem virtuosamente e rezar para deter a expansão do glacial Aletsch, o maior da Europa, que havia provocado o transbordamento de um lago, inundando suas casas.

Para reforçar suas preces, eles começaram a realizar uma procissão anual a partir de 1862, quando a geleira chegou a seu máximo, durante a pequena Era do Gelo pela qual passou a Europa em meados do século 19.

Mas as aldeias agora querem a permissão do papa para mudar sua promessa, já que o glacial está derretendo rapidamente por causa das mudanças climáticas. Por isso, pediram uma audiência com o pontífice. Eles esperam obter a audiência em setembro ou outubro, disseram em um comunicado.

Os glaciais da Suíça encolheram 12 por cento na última década por causa das temperaturas mais altas e redução da neve.

Glaciais são uma fonte importante de água para as usinas hidroelétricas suíças e também uma atração turística.

Pesquisadores preveem que até 2050 as temperaturas nos Alpes suíços vão subir 1,8 graus no inverno e até 2,7 graus no verão, até 2050.

(Reportagem de Emma Thomasson)