Fonte: Agência EFE – Londres

Campanha do ônibusDepois de uma campanha nos ônibus para divulgar a mensagem de que “Deus provavelmente não existe” e aconselhar a “desfrutar da vida”, fundou-se no final de fevereiro, em Londres, a Federação Nacional de Estudantes Ateus, Humanistas e Laicos.

A Federação, conhecida pelas siglas inglesas de AHS, é só o mais recente de uma série de movimentos deste tipo, surgidos para fazer frente ao que os seus adeptos consideram como a excessiva complacência da sociedade e das autoridades para com os grupos religiosos.

O conhecido biólogo britânico Richard Dawkins, autor do livro “Deus, uma ilusão” – um ataque frontal à crença em um Deus criador do universo – compareceu à inauguração da Federação e expressou  o apoio da ONG que dirige aos estudantes que queiram fundar sociedades atéias em suas universidades.

Dawkins, citado pelo diário “The Independent”, afirmou que  “a Universidade é o lugar onde a gente pensa, onde se valorizam as provas” e criticou que as declarações públicas de ateísmo sejam consideradas  “uma ameaça ou uma afronta”, quando o mesmo não acontece  com as afirmações de caráter religioso.

O cientista perguntou por que se dá à religião um estatuto especial no Governo, no campo da cultura e nos meios de comunicação e disse que “nenhuma opinião deveria estar isenta das críticas”.