Fonte: Neo-Ateus

Jim Jones persuadiu mais de 900 pessoas ao suicídio

Jim Jones persuadiu mais de 900 pessoas ao suicídio

Nascido em 1931, James Warren “Jim” Jones foi o fundador do grupo templo dos povos, que reunia pessoas marginalizadas dos E.U.A, a lavagem cerebral de Jim era tão eficiente que ele convenceu várias pessoas dessa seita a irem para a Guiana, onde Jim com um grande poder econômico fundou uma cidade chamada de  Jonestown.

Em Jonestown viviam mais de 900 pessoas, a cidade era auto-suficiente e tinha tudo que uma cidade pequena tem, exceto o bom senso, nessa cidade Jim fazia o que queria, ele era uma especie de Jesus, e o povo o amava e idolatrava, a cidade vivia sobre uma organização semelhante ao socialismo onde tudo era coletivizado e vigiado, criticas eram punidas com a morte e todos que tentavam fugir ou eram mortos, ou sofriam terríveis castigos como mutilação de membros e etc.

Haviam boatos na época, que falavam que na cidade ocorriam orgias sexuais com crianças, então o governo norte-americano escandalizado com as terríveis noticias que vinham do norte da América do Sul resolveu enviar um congressista, Leo Ryan, para averiguar a situação. Quando o Ryan chegou a Jonestown e constatou que várias pessoas eram na verdade escravas dos desejos de Jim, que evidentemente era do tipo Hitler/Stalin, exigiu que Jim libertasse os que quisessem regressar aos E.U.A e Jim atendeu o pedido, afinal aquelas pessoas eram cidadãs e tinham o direito de retornar ao seu país de origem.

Quando o congressista estava a caminho do avião com os ex-seguidores de Jim, houve uma emboscada e Ryan foi assassinado junto com os ex-seguidores. Jim, então viu a tolice que havia feito, pois sabia que uma coisa era ele matar e explorar um bando de ignorantes e outra era ele matar um congressista eleito e idolatrado pela Califórnia, com muito medo, resolveu se suicidar, mas antes resolveu que todos os habitantes de Jonestown deveriam morrer, ele então convenceu várias pessoas a se matarem. Mães envenenaram seus filhos e em pouco tempo mais de 900 pessoas estavam mortas entre essas mortes haviam crianças, mulheres, idosos, homens, bebês e até mesmo animais.

Segue, abaixo, uma reportagem do Fantástico sobre o ocorrido:

Anúncios