Fonte: Diário Digital

O governo egípcio anunciou hoje que iniciou a morte em massa de todos os porcos do país como medida de prevenção contra um possível surto de gripe suína, doença que matou sete no México, um nos Estados Unidos e atingiu outros nove países.

Embora tenha tido origem provável em porcos, a OMS (Organização Mundial de Saúde) afirma que não há risco de contrair a doença pela ingestão de carne de porco, porque a temperatura de cozedura (acima de 70ºC) mata o vírus.

Embora tenha um regime laico, no Egito o Islamismo é a religião oficial, a qual proíbe o consumo de carne de porco.

A Organização Mundial para a Saúde Animal (OIE) reiterou na segunda-feira que ainda não foi comprovada a relação entre o vírus e os animais e pediu que a gripe suína seja denominada gripe da América do Norte.

«O vírus não foi isolado em animais até à data. Portanto, não se justifica o nome desta doença como gripe suína», alegou a organização, em comunicado.

O vírus é transmitido como o de uma gripe comum, de pessoa para pessoa, e até agora as autoridades de saúde constataram que os antigripais Relenza e Tamiflu são eficientes contra a infecção.

…………………………………………………………………………………

Comentário do Carlos Esperança da AAP e do Diário Ateísta

Chumbo Grosso

 

 “A medida pode ser inútil para a saúde e prejudicial para a economia mas agrada certamente a Maomé”.

Anúncios