Istambul, 27 abr (EFE).- Pelo menos 100 pessoas foram detidas hoje em uma grande operação antiterrorista da Polícia turca contra várias organizações radicais islâmicas em todo o país, segundo informaram veículos de imprensa turcos.

Segundo a agência de notícias “Anadolu”, 52 pessoas foram detidas por relação com o grupo fundamentalista Vasat durante operações policiais simultâneas em dez províncias diferentes.

Criado em 1996 no sudeste da Turquia, o objetivo do Vasat é a formação de um estado islâmico. A organização foi especialmente ativa até 2000, quando ocorreu sua última ação terrorista.

Em outras quatro províncias, foram detidos 35 supostos militantes e simpatizantes do grupo armado Hisbolá e de uma associação islâmica legal, IHYA-DER, que supostamente mantinha vínculos com a organização fundamentalista.

O Hisbolá turco não possui relação com a formação xiita libanesa do mesmo nome, já que se trata de uma organização sunita formada em sua maioria por curdos e presente no sudeste da Turquia.

Segundo diversas fontes, o Hisbolá foi utilizado pelo Estado turco durante o conflito com o grupo armado separatista Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) durante os anos 90.

O terceiro grupo que foi alvo das operações policiais foi o Estado Islâmico Federal da Anatólia (AFID). Treze de seus supostos membros foram detidos na província de Konya.

A AFID surgiu na Alemanha em torno do clérigo muçulmano Cemalettin Kaplan, exilado durante a ditadura da Junta Militar da Turquia (1980-1983).

Sua fundação data do início dos anos 90, após a volta do grupo à Turquia, e seus atentados do final desta década se inspiraram nas ações da Al Qaeda.

Em uma outra operação policial antiterrorista, desta vez contra grupos separatistas e de extrema-esquerda, 40 pessoas foram detidas entre ontem e hoje em Istambul.

Um dos supostos terroristas conseguiu enfrentar a Polícia de dentro de um apartamento durante mais de seis horas até ser finalmente abatido.

Um policial e um morador da área morreram por causa dos disparos. Seis agentes e um jornalista ficaram feridos.

 

Fonte: G1 EFE